O Poder de Consumo da Nova Classe Média Chinesa: 300 Milhões de Consumidores a Serem Conquistados

ARTIGO

Autora: Yuli Zhang (Tradutora Trilingue na Business Nesting International, Zhongshan, Guangdong)


Como líder dos mercados emergentes, a China tem sido muito bem sucedida em transformar a taxa de crescimento dos últimos 30 anos em riqueza em massa, e o poder de consumo de 300 milhões de classe média começou a entrar em erupção.


A nova classe média adora viajar, presta atenção à saúde e se diferencia em consumo, estética e estilo de vida. Eles são o pilar do mercado de consumo e serviços da China e o motor de crescimento da economia mundial.




A nova classe média chinesa não é apenas a principal força do consumo mundial de mercadorias, mas também a principal força do consumo mundial de serviços.


Depois de ter uma renda estável e uma família feliz, a nova classe média da China começou a prestar atenção em seu mundo espiritual interior e começou a buscar um novo movimento de vida.

A nova classe média também está acelerando a transformação da China de uma potência manufatureira para uma potência de serviço, e serviços como assistência médica, saúde abrangente, educação, turismo, finanças e seguros são as áreas de crescimento mais explosivas para a nova sociedade de consumo da China no futuro.

A nova classe média está acelerando a mudança da China das fábricas mundiais para os mercados mundiais, a nova classe média da China será o melhor mercado do mundo. O vinho tinto de château de Bordéus da França, o BMW da Alemanha, o iPhone dos Estados Unidos, os móveis da Itália, o leite em pó da Nova Zelândia e o café de Starbucks começam a entrar na vida de nova classe média.

O leite fresco das fazendas da Nova Zelândia pode chegar à mesa chinesa por três dias. E peixe-carvão-do-pacífico do Alasca, cerejas chilenas, abacates mexicanos e filés australianos também são encontrados em toda a China.

Bens do mundo, como alimentos, produtos médicos e de saúde, cosméticos e produtos de entretenimento estão se tornando o favorito da grande nova classe média da China que "ama a beleza, ama a saúde e ama a família". Nova classe média está acelerando a transformação da China de uma fábrica mundial para um mercado mundial.

Na próxima década, mais de 300 milhões de nova classe média e mais de 300 milhões de geração Z na China promoverão a maior onda de upgrades de consumo do mundo.


Esperamos que, após 15 anos, a escala do mercado de bens de consumo da China aumentar em cerca de 2 vezes, de 38 trilhões em 2017, superando 100 trilhões de yuans, tornando-se a maior consumidora mundial do maior país manufatureiro do mundo.

O consumo se tornará o maior motor para o crescimento contínuo da economia chinesa no futuro e, desde 2014, a taxa de contribuição do consumo para o crescimento do PIB continuou a subir.

Na era das atualizações de consumo, tudo pode retornar para zero. Um grande número de espécies antigas e antigas marcas de consumo podem desaparecer em breve no horizonte do consumidor.

Hoje, o dividendo demográfico da China passou de um dividendo quantitativo para um dividendo de estrutura populacional. Vimos 250 milhões de idosos com mais de 65 anos de idade. Esse grupo de pessoas é muito saudável, e o mais importante é que elas consigam consumir.

Ao mesmo tempo, a maior população é a nova classe média da geração do milênio e a ascensão da geração Z. A geração Z nascida após 1995, com uma população de mais de 370 milhões de pessoas, está se tornando a principal força para o novo consumo nos próximos 5-10 anos.

A China tem uma população de 1,4 bilhão e mais de 300 milhões de classe média. No ano passado, 150 milhões de pessoas na China viajaram para o exterior. Até 2025, o número de pessoas nesta classe excederá 500 milhões, cobrindo mais da metade da população urbana da China, e a renda total disponível chegará a 13,3 trilhões de yuans.


Evolução da Mobilidade Social na China de 2013 a 2030

A festa da nova classe média:


Da primeira geração da classe média (G1) à segunda geração da classe média (G2)


A definição da classe média tem sido indecisa. Já na primeira metade do século XIX, a classe média aparecia nos Estados Unidos, onde a classe média vivia mais espaçosa, com sala de estar, cozinha e sala de jantar no térreo e 3 - 4 quartos no andar superior, trabalhava como comerciante, artesão e empregado, bem como advogado, médico, pastor, professor e pequeno funcionário.

No século 20, com a ascensão da civilização industrial e a ascensão do Vale do Silício, os colarinhos brancos urbanos surgiram em grande número, tornando-se a espinha dorsal da classe média americana. As características deles são: "Temem a Deus, vão para a cama cedo e se levantam cedo, trabalham diligentemente, prestam atenção à avaliação dos outros, comportam-se regularmente, concentram-se em ganhar dinheiro e são respeitados".

De acordo com o último Relatório sobre a Riqueza Mundial divulgado pela Allianz da Alemanha, uma em cada sete pessoas no mundo pertence à classe média.

De acordo com o Relatório de Riqueza Global de 2018, a contribuição da China para o crescimento global da classe média é a maior. Em termos do crescimento absoluto de bens pessoais, os Estados Unidos ainda superam a China e estão em primeiro lugar no mundo.

Em 2017, os Estados Unidos representaram 44% do crescimento total dos ativos financeiros das famílias globais, em comparação com 25% na China. O relatório da Allianz disse que o aumento da riqueza global da China foi "impressionante".

Como a segunda maior economia do mundo, a classe média chinesa já representa metade da classe média global. Em 2000, apenas 500 milhões de pessoas no mundo eram de classe média e metade viviam no Japão, na América do Norte e na Europa Ocidental. No entanto, até o final de 2017, o número de classes médias nesses países industrializados caiu para um quarto, enquanto a classe média na China é a metade do mundo.


Classes Sociais na População Urbana Chinesa

A "classe média rica" definida pela Allianz é que os ativos financeiros líquidos detidos por indivíduos estão entre 7.600 euros (cerca de 61.200 yuans) e 45.600 euros (cerca de 367.100 yuans). No relatório da Allianz, a definição de “classe média” é riqueza pessoal entre 7.600 (60.000 yuans) e 45.600 (360.000 yuans) euros.



A revista Forbes define a classe média da China como vivendo na cidade, entre 25 e 45 anos, com diplomas universitários, profissionais e empresários, com uma renda anual de 1-6 milhões de dólares.

Em julho de 2016, a revista The Economist disse: "A atual classe média de 225 milhões da China está crescendo a uma taxa anual média de 13% e chegará a 500 milhões em cinco a sete anos. O artigo define a classe média chinesa como "Grupo com renda familiar anual entre US $ 1.500 e US $ 43.000, ou seja, o grupo com uma renda anual entre 80.000 e 300.000 yuans.”

De acordo com uma pesquisa de 2016 do Instituto de Pesquisa de Tendências Econômicas da China no Diário Económico, a riqueza média da família chinesa era de 144.197 yuans, 208.317 yuans para famílias urbanas e 64.780 yuans para famílias rurais, e o primeiro é 3,22 vezes o segundo.

De acordo com um relatório da iResearch, a idade média atual da classe média é superior a 30 anos, 31,8 anos de idade nas cidades de primeiro nível e 35,8 anos nas cidades de segundo nível. A taxa média de casamento da classe média é de 80%, e em algumas cidades de segundo nível a taxa até chega a 90,7%. Nas novas famílias da classe média que têm filhos, a taxa de segundo filho nas cidades de primeiro nível é maior do que em outras regiões em mais de 20%.


Acreditamos que as gerações pós-50s, pós-60s e pós 70s que experimentaram a pobreza, são a primeira classe média chinesa mais abastada (G1, classe média velha) que vivem numa família de classe média padrão: a família e a carreira são muito bem-sucedidas. Não se preocupam com comida e roupas, e com uma vida estável.


Eles têm uma forte busca espiritual e sentimentos de pátria, compreendem o valor da riqueza e o significado da estabilidade social e estão dispostos a trabalhar duro para o crescimento corporativo e o sucesso econômico nacional, e também para um futuro melhor para a educação dos filhos e a felicidade da família.

Há 228 milhões de pessoas de pós-80s e 174 milhões de pós-90s na China. Um grupo de pós-80s e pós-90s promitente e próspero tornará-se a força central da classe média de segunda geração da China (G2, nova classe média). Eles são força principal da classe.

A nova classe média geralmente se refere ao grupo de pós-80s e pós-90s que tem uma boa educação e renda anual de cerca de 150.000, e busca um estilo de vida de qualidade e de atitude.

Vemos que a estrutura de idade dos grupos de consumidores do produto importado é mais jovem. Em 2017, os consumidores pós-90 e pós-95 da Tmall International responderam por 45,2%, utrapassaram os pós-80 e tornaram-se o maior grupo de consumidores de produto importado. Em 2018, essa proporção ainda ultrapassou 50%.

Os consumidores dominados por pós-80s e pós-90s preferem mais de respeitar a auto-expressão e a auto-satisfação. Design personalizado e exclusivo está se tornando o principal atrativo dos consumidores, e designers originais e lojas de compradores de moda estão surgindo como cogumelos.


E sobre agarrar o entusiasmo da indústria da moda, isso não está relacionado apenas aos recursos da plataforma, à capacidade de designers e à vontade do consumidor, mas também está intimamente relacionado à atualização da capacidade do setor, ao controle de otimização da cadeia de suprimentos.

A classe média é base da estabilidade social, está ansiosa por estabilidade social, não está disposta a ter turbulências e revoluções e, sobretudo, não gosta de violência. A turbulência destruirá a propriedade e a revolução violenta não apenas destruirá a propriedade, mas também redistribuirá a propriedade.


Se pode formar uma estrutura social de "oliva" com a classe média como o corpo principal é uma base importante para um país ou região se desenvolver de forma constante

A G2 nasceu após meados dos anos 80 e quando a economia chinesa começou a decolar, a maioria deles era a única criança da família. Seus pais passaram por um período de falta de suprimentos e sua mentalidade de consumo era conservadora. Em contraste, a G2 é autoconfiante e independente, e seu comportamento de consumo também reflete essa independência.

A pesquisa da McKinsey mostra que a G2 é uma geração de pensamentos e comportamentos de “ocidentalização” - eles acham que coisas caras são melhores, estão dispostos a provar coisas novas, buscam o gosto e status, são leais às marcas em quem confiam e preferem marcas de nicho.

A G2 é mais dependente da Internet. Antes de comprar novos eletrodomésticos ou produtos digitais pessoais, 42% verificarão a experiência, comentários ou feedback de outras pessoas on-line. Apenas 26% dos pais deles farão isso.

A resposta que Jack Ma deu em seu discurso recente é: "Quantas cidades nos Estados Unidos têm mais de 1 milhão de pessoas? 10. Quantas dessas cidades existem na China? 102. Um milhão de pessoas na China pode ser rural, mas nos Estados Unidos, é uma cidade grande. Como Hangzhou tem uma população de 8,6 milhões.


Jack Ma

Nos últimos 30 anos, a população e a classe média dos EUA mudaram a economia mundial; nos próximos 30 anos, o crescente mercado chinês mudará fundamentalmente a situação da economia mundial.”


Demanda de nova classe média por novos consumos excederá em muito a imaginação de todos nós.


O mercado consumidor da nova classe média terá um enorme potencial comercial e, estima-se que em 2020, 81% do crescimento total do consumo da China virá da classe média. A classe média se tornará a promotora e a base da próxima atualização de consumo de 30 anos da China.  


Ovie Löfgren, professor na Universidade de Lund, na Suécia, foi o primeiro estudioso a estudar a classe média. No seu livro "Den kultiverade människan ", tomando o estilo de vida da classe média sueca de 1880 a 1910 como um objeto de observação, através de materiais folclóricos coloridos, a imagem da vida da classe média é descrita.

Ele descobriu que a classe média sueca, na virada dos séculos XIX e XX, em seu estágio de formação, não apenas tentou se livrar da imagem de “alpinista social”, mas também queria diferenciar dos camponeses, dos trabalhadores e dos nobres decaídos e vivia com cultura e estilo de vida únicos.

É o anseio pela " Den kultiverade människan (boa vida)" que a própria cultura e os valores da classe média penetraram com sucesso em todos os cantos triviais e comuns da vida cotidiana moderna.

Se classificada de acordo com as preferências de consumo, a nova classe média é infectada pelo novo consumismo (buscando um senso de presença, participação, ritual e felicidade) da geração Z, é típica dos grupos de consumidores SoLoMoMe (Social (Social), Local (Local), Mobile (Móvel) e Me(Eu)), e presta mais atenção às necessidades abrangentes da qualidade da vida e nível espiritual, e à busca de necessidades individualizadas.


Novo consumismo tem três tendências:

① De possuir mais para possuir melhor.


② Da satisfação da função para a satisfação da emoção.


③ Do alto preço físico para o valor psicológico acrescentado。

Depois que a revolução industrial e a civilização da internet libertaram a humanidade do trabalho manual pesado, a classe média inexplicavelmente começou a gostar de coisas marcadas como estilo retro, feitas à mão, secretas ou privadas. A comida feita por mãe é fascinante, o macarrão feito à mão é de gosto e os pasteis chineses feitos à mão são frescos.


Muitos da nova classe média também são ambientalistas, com alimentos, roupas, habitação e transporte mais verdes. O consumo verde como alimentos eco-orgânicos a purificadores de ar, purificadores de água, aparelhos economizadores de água, eletrodomésticos verdes, materiais de construção ecológicos, veículos ecológicos e outros bens e serviços que ajudam a economizar recursos e melhorar o meio ambiente estão entrando em suas vidas.


Nova classe média


A China está rapidamente deixando de ser a "fábrica do mundo" para se tornar o maior consumidor dos produtos oriundos de outras partes do mundo.


A nova classe média da China será o melhor mercado do mundo. O vinho tinto de château de Bordéus da França, o BMW da Alemanha, o iPhone dos Estados Unidos, os móveis da Itália, o leite em pó da Nova Zelândia e o café de Starbucks começam a entrar na vida de nova classe média. O leite fresco das fazendas da Nova Zelândia pode chegar à mesa chinesa por três dias. E peixe-carvão-do-pacífico do Alasca, cerejas chilenas, abacates mexicanos e filés australianos também são encontrados em toda a China.


A China planeja importar U$30 Trilhões em produtos nos próximos anos

Bens do mundo, como alimentos, produtos médicos e de saúde, cosméticos e produtos de entretenimento estão se tornando o favorito da grande nova classe média da China que "ama a beleza, ama a saúde e ama a família". Nova classe média está acelerando a transformação da China de uma fábrica mundial para um mercado mundial.

Dos dados que vemos da plataforma de e-commerce transfronteiriça, no comportamento de compras, a nova classe média desde o início da compra de baixa frequência de bens de luxo até a compra de alta freqüência de necessidades diárias, até creme dental é comprada através de comércio eletrônico transfronteiriço.

Hoje, a nova classe média criou muitas mercadorias fenomenais no consumo transfronteiriço, como o ampola. Estima-se que no Duplo 11 deste ano possa vender 4 milhões de peças, equivalente ao tamanho anual da ampola do mercado espanhol.

De 5 a 10 de novembro deste ano, a China realizou a primeira Exposição de Importação Internacional sem precedentes, atraindo 172 países, regiões e organizações internacionais para participar, com mais de 3.600 empresas dos cinco continentes e um volume de negócios de intenção total de 57,83 bilhões de dólares.

O plano da Alibaba é ambicioso, e o sucessor de Jack Ma, Daniel Zhang, anunciou na Expo de Importação que o Alibaba atingirá uma importação global de 200 bilhões de dólares nos próximos cinco anos, cobrindo Tmall, Tmall International, B2B e Hema, Winchain, Yintai, RT-Mart, LST e muitos outros negócios afiliados ao Ali Group, envolvendo várias categorias de importação de mais de 120 países e regiões.

Já em 2017, o Ali propôs um modelo estratégico para "compra global, venda global, pagamento global, transporte global, viagens globais". Através do AliExpress e Tmall no exterior, o Alibaba pode cobrir mais de 200 países.

A Alipay pode suportar liquidação de 27 moedas e lançou carteiras digitais em 9 países; a Cainiao estabeleceu 8 nós de rede de backbone de transporte aéreo de logística nos Estados Unidos, Malásia e outras escalas globais, além de 15 redes locais de distribuição de depósitos no exterior e seis principais centros de compras na América do Norte, Europa, Oceania, Japão, Coréia e Hong Kong da China...

O Sr. Gao Hongbing, presidente do Ali Research Institute , acredita que, nos últimos anos, várias plataformas de comércio eletrônico representadas pelo Alibaba estão empenhados em construir uma nova plataforma de comércio global, livre, aberta, comum e inclusiva.

Não apenas milhões de consumidores de todo o mundo podem “comprar globalmente”, mas também permitem que milhões de pequenas e médias empresas em todo o mundo realizam “vender globalmente”.

Essa é a solução chinesa que Ali explorou com base na infra-estrutura de Internet de consumo global construída nos últimos 20 anos e que alcançou a primeira reversão em grande escala do mercado global nos quase 100 anos de história de negócios da China.

A taxa de penetração de importação de varejo de comércio eletrônico transfronteiriço da China (a proporção do número de consumidores comprando bens importados através do comércio eletrônico transfronteiriço para o número total de consumidores de compras on-line) subiu rapidamente de 1,6% em 2014 para 10,2% em 2017. O número de consumidores da Tmall International em 2017 é 10 vezes superior ao de 2014.

Dez cidades chinesas, incluindo Pequim, Xangai, Guangzhou e Shenzhen, entraram na lista das 100 cidades de centro de consumo internacional do mundo todo. E Xangai tem sido a maior cidade consumidora de importados da Tmall International por muitos anos.

Nos últimos quatro anos, a Tmall International introduziu quase 19.000 marcas no exterior de 3.900 categorias em 75 países no mercado chinês, e mais de 80% delas entraram na China pela primeira vez.


Durante a Expo, o Jingdong Group assinou diretamente e comprou quase 100 bilhões de yuans de produtos de marca importados, os pedidos de compra da Suning no exterior devem chegar a 15 bilhões de euros (cerca de 120 bilhões de yuans), e a NetEase Kaola assinou pedidos de quase 20 bilhões de yuans com mais de 110 marcas de qualidade global.


Xi Jinping na Feira Internacional de Importação de Xangai, em Novembro: Incentivar importações na China é uma política de estado

A mia, lançada em março de 2014, entrou no mercado materno-infantil por meio da venda instantânea, adotando principalmente o modelo de importação auto-operado.

Sua plataforma POP é um sistema de convite e está disponível apenas para marcas de têxteis de vestuário e de departamento domésticas. Ela usa a "classe média, mães, vida de qualidade" como padrão para sua própria expansão de categoria e começa a se expandir horizontalmente, o que se tornará a maior empresa de grávidas, bebês e crianças da China.

A Ymatou está empenhada em quebrar a discriminação regional de preços e as barreiras de circulação internacional na indústria de varejo internacional e realizar o sonho do consumo global do povo chinês. Foi fundada em 2009 e é o primeiro empreendimento a trabalhar no comércio eletrônico transfronteiriço na China e foi nascida para resolver verdadeiramente os problemas dos usuários.。

Ela não apenas estabeleceu uma cadeia de fornecimento flexível para os compradores atenderem às necessidades diversificadas de compras no exterior do povo chinês, mas também construiu seu próprio sistema de logística oficial, o Xlobo, para garantir que os produtos estrangeiros sejam transportados rápida e seguramente para os chineses. Atualmente, a ecologia do comprador cobriu 83 países e mais de 30.000 compradores certificados.

Na cerimônia de abertura da Expo, o Secretário-geral fez um discurso habilmente comparando a economia chinesa ao mar e teve grande eco: "A economia chinesa é um mar, não um pequeno lago".

Ele disse: "Estima-se que nos próximos 15 anos, as importações de bens e serviços da China serão superiores a 30 trilhões de dólares e 10 trilhões de dólares, respectivamente."


Acreditamos que mais produtos de qualidade e com preços razoáveis no mundo irão inundar o forte mercado consumidor da China, e certamente promoverão concorrência justa e prosperidade a longo prazo no mercado consumidor chinês. A classe média que se tornou rica é o maior grupo de pessoas que consome esses bens e serviços importados.


A Câmara de Comércio Internacional da China, a Deloitte e o Instituto de Pesquisa de Ali lançaram em conjunto o "Mercado Gigante Continuamente Aberto - Relatório do Mercado consumidor de importação da China" em Xangai.

O relatório apontou que o consumo como primeira força motriz para o crescimento econômico é mais significativo. No primeiro semestre de 2018, a taxa de contribuição da despesa de consumo final para o crescimento do PIB atingiu 78,5%. Tomando o duplo 11 como exemplo no ano passado, os bens importados representaram cerca de 40% das vendas totais de 168,2 bilhões.

Com o fim da Expo de Importação Global em Xangai, a guerra comercial sino-americana acabará por se comprometer, e a China envia o sinal mais forte para o mundo.


Este ano, 22 cidades acrescentaram zonas piloto complexas de e-commerce transfronteiriças e reduziram as tarifas três vezes por ano:

A partir de 1º de maio, o medicamento será totalmente reduzido em tarifas, a partir de 1º de julho, as tarifas de 218 itens tributários sobre carros e peças serão reduzidas e, a partir de 1º de novembro, as tarifas de importação de 1.585 itens tributários serão reduzidas.

Quando a China aderiu à OMC, o nível total de tarifas foi de 15,3%, e dados oficiais mostraram que, após 1º de novembro, o nível total de tarifas da China caiu para 7,5%.

Com a redução de tarifas sobre bens importados e a promoção de plataformas de comércio eletrônico transfronteiriças, bons bens e bons serviços de todo o mundo irão acelerar para a China, e o limite para marcas globais que entrarem no mercado chinês será bastante reduzido.

Como a maior plataforma de e-commerce de importação transfronteiriça da China, a experiência de compra da Tmall International melhorou significativamente. O serviço global de cadeia de fornecimento apoiado pela rede de Cainiao, o tempo médio de recebimento do modelo de importação alfandegada de varejo foi reduzido de 9,2 dias em 2014 para 4,5 dias em 2017.


Em Xangai, Hangzhou, Shenzhen, Guangzhou e outras cidades-piloto nacionais de serviço transfronteiriço, é normal que comprar bons bens globais através da Tmall International e receber no dia seguinte ou até no dia mesmo.

A importação de modelos tradicionais depende de grandes contêineres, de portos a portos, de marcas, agentes, distribuidores, varejistas nível por nível para os consumidores.

E novo modelo de importação do Alibaba consiste em cada encomenda de centenas de milhões de consumidores, e é diretamente da marca para o consumidor, não há nível intermediário.


Através da "recomendação" das estrelas on-line e de KOL da beleza (líder da opinião-chave), cosmecêutico de nicho, a Martiderm (marca espanhola de ampola) começou a colher um grande número de fãs na China, especialmente a série de essências de ampola, e em breve torne-se quente online.

Em apenas dois anos, a China tornou-se o maior mercado externo da Martiderm e, em 2017, o mercado chinês respondeu por 40% de suas vendas globais. Como os produtos da série de ampolas são tão populares, até mesmo algumas das 500 maiores marcas do mundo estão disputando a imitação, e o Martiderm é chamado de "o ancestral da ampola" pelos internautas chineses.

O influxo de bens importados terá, inevitavelmente, um enorme impacto sobre as marcas locais de consumo e indústrias relacionadas da China, e algumas empresas locais menos competitivas acelerarão a eliminação e a falência.

As pessoas da nova classe média adoram viajar, prestam atenção à saúde e se diferenciam em consumo, estética e estilo de vida. Eles são tanto a base do consumo no mercado chinês quanto o motor do crescimento da economia mundial.


A indústria de serviços dos EUA tornou-se uma indústria central na economia dos EUA.

Desde 2000, a proporção de serviços no PIB aumentou de 68% no início do século para 74% em 2017. Ao mesmo tempo, é também a força principal para criar empregos. Segundo dados de junho de 2018, a taxa de emprego da indústria de serviços atingiu 86,11% do emprego não-agrícola. Entre eles, educação, serviços médicos, serviços profissionais, alojamento de lazer e varejo, a proporção de pessoas empregadas nestes quatro setores excede 52%.

A nova classe média chinesa não é apenas a principal força do consumo mundial de mercadorias, mas também a principal força do consumo mundial de serviços.

Depois de ter uma renda estável e uma família feliz, a nova classe média da China começou a prestar atenção em seu mundo espiritual interior e começou a buscar um novo movimento de vida.


A nova classe média também está acelerando a transformação da China de uma potência industrial para uma potência de serviço, e serviços como assistência médica, saúde abrangente, educação, turismo e seguros são as áreas de crescimento mais explosivas para a nova sociedade de consumo da China no futuro.

1. Doença do estilo de vida e crescente indústria da saúde

Saúde abrangente significa em torno de vestidos, alimentação, habitação, transporte, nascimento, envelhecimento, doença e morte, realizar cuidados completos, abrangentes e todos fatorial para a vida, não apenas buscando a saúde física individual, mas também buscando aspectos mentais, espirituais e outros da saúde.

Refere-se à soma de atividades como a manutenção da saúde, a reparação da saúde, a promoção da produção de produtos saudáveis, a prestação de serviços e a disseminação de informações.

O famoso livro do economista Paul Pilzer, The New Wellness Revolution (A Nova Revolução de Bem-Estar), argumenta que após a “era da mecanização” da máquina a vapor e a subsequente “era da eletrificação”, “era do computador” e a recente quarta revolução da “era da internet”, O que já chegou é a “era dos cuidados de saúde”, e a indústria da saúde também se tornará a “A Nova Revolução” depois da indústria de TI.


A grande indústria da saúde está se tornando a pastelaria doce dos mercados de capitais e dos empreendedores.

Em 2017, a escala da indústria de saúde abrangente da China atingiu 6,2 trilhões de yuans, 2,4 vezes a de 2,60 trilhões de yuans em 2011, e a taxa de crescimento composta em 2011-2017 atingiu 15,6%.

A indústria cresceu a uma taxa anual média de mais de 20% nos últimos cinco anos, superando em muito a taxa média global de crescimento de cerca de 6%, tornando a China o segundo maior mercado de saúde fora dos Estados Unidos.


A grande indústria da saúde abrangente será a nova revolução global após a indústria de TI. De acordo com o Esboço de planejamento de "Saúde da China em 2030" emitido pelo Estado em outubro de 2016, até 2020, a escala total da indústria de serviços de saúde da China chegará a 8 trilhões de yuans, e chegará a 16 trilhões de yuans em 2030. A indústria tem enorme espaço para desenvolvimento.

As doenças crônicas, a depressão e os tumores malignos se tornarão fatores fatais que ameaçam a saúde do povo chinês, e doenças do estilo de vida da classe média, como a diabetes, estão se espalhando.

Vamos ver um conjunto de dados:


160 milhões: 160 milhões de pessoas com dislipidemia (incluindo hiperlipidemia)

100 milhões: mais de 100 milhões de pessoas com hiperlipidemia

270 milhões: 270 milhões de pessoas com hipertensão arterial na China

92,4 milhões: pacientes com diabetes atingiram 92,4 milhões

200 milhões: 200 milhões de pessoas com sobrepeso ou obesas

120 milhões: cerca de 120 milhões de pessoas com fígado gorduroso

10 segundos: Em média, uma pessoa tem câncer a cada 10 segundos

30 segundos: uma pessoa sofre de diabetes a cada 30 segundos em média

30 segundos: Em média, a cada 30 segundos, pelo menos um morreu de doenças cardiovasculares e cerebrovasculares, e 70% dos chineses correm o risco de excesso de trabalho.

76% dos colarinhos brancos são sub-saúde

20% sofrem de doenças crônicas

Taxa de mortalidade por doenças crônicas representa 86%

22% das causas de morte na meia-idade são doenças cardiovasculares e cerebrovasculares

Os futuros médicos devem ter conhecimentos de nutrição e cuidados de saúde, especialmente para doenças crônicas, devem desempenhar o papel de nutrição e cuidados de saúde.

Em fevereiro de 2017, o ex-ministro da Saúde Chen Wei disse: "No futuro, os médicos devem prescrever duas prescrições: uma para a condição e outra para a nutrição dietética".

A depressão é conhecida como um resfriado na psiquiatria e é chamada de "preocupação azul" no Ocidente.

A sociedade moderna é uma era na qual as necessidades espirituais são continuamente suprimidas. Cada vez mais pessoas, especialmente empresários, trabalhadores de colarinho branco, mulheres-maternidade e até mesmo círculos literários e de arte têm sido atormentados por emoções negativas como depressão, ansiedade e irritabilidade.


A depressão refere-se a doença mental com humor deprimido grave e duradouro como a principal característica clínica, resultando em uma série de desconforto físico e mental.

Não é apenas um problema emocional de depressão e pessimismo, mas também dores físicas e mentais, como insônia, perda de apetite, medo social, raciocínio lento, perda de capacidade de linguagem e memória que pessoas normais não conseguem imaginar. A depressão é um "assassino silencioso", e é uma doença psiquiátrica com a maior taxa de suicídio.

Segundo a Organização Mundial da Saúde, atualmente existem 350 milhões de pessoas com depressão no mundo e, como a terceira maior doença de carga do mundo, a depressão substituirá a doença arterial coronariana em 2020 e subirá para o segundo lugar.

De acordo com as estatísticas oficiais da China de 2016, o número de pacientes com "depressão" na China ultrapassou cem milhões, o que significa que, em média, há uma pessoa com depressão em cada 13 pessoas.


A cognição pública da depressão está seriamente ausente, especialmente em pacientes com depressão, a "estigma" é grave e a taxa de consulta é inferior a 10%. Na pesquisa de depressão da Tencent, apenas 25% dos internautas disseram que entenderam a depressão e 75% dos internautas disseram não saber muito sobre isso.

“A depressão é como hipertensão arterial e diabetes que podem ser curadas por si só. Deve ser curada de tomar remédio." O distúrbio depressivo maior de Cui Yongyuan fez com que ele permanecesse à beira da vida e da morte. Também é baseado em medicação regular e o corpo lentamente se recupera.

Pesquisas médicas mostraram que 80% dos pacientes serão curados depois de tomar antidepressivos, os medicamentos geralmente são mais populares do que a duração da psicoterapia e os efeitos colaterais da eletroterapia.

Considerando a importância dos cuidados de saúde para as famílias chinesas, o rápido envelhecimento da população da China e os desafios enfrentados pelo sistema público de saúde,

A McKinsey estima que, nos próximos 20 anos, os gastos dos consumidores urbanos com cuidados de saúde comerciais crescerão a uma taxa anual de 11%, e a indústria da saúde ultrapassará 1 trilhão em 2020. Isso criará enormes oportunidades para provedores de assistência médica, seguradoras, fabricantes de dispositivos médicos e empresas farmacêuticas.

Por exemplo, de acordo com o Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos EUA, os americanos gastam cerca de US $ 64 bilhões por ano em cuidados com a saúde bucal, e os cuidados com a saúde bucal na China estão apenas começando.


A Clínica Especialista em Diabetes Xier, juntamente com equipes de especialistas médicos da Escola de Medicina da Universidade de Duke e do Centro de Imagiologia Médica da Universidade de Minnesota e outros, desenvolveu a reabilitação precisa do diabetes como o projeto básico do diagnóstico e tratamento clínico.


A Xier é a primeira instituição médica na China a adotar o novo conceito de “intervenção médica do estilo de vida” e inteligência artificial e tecnologia de big data, redefinindo o gerenciamento da reabilitação do diabetes com diagnóstico e tratamento científico e serviços de gerenciamento personalizados.

A Xier Medical introduziu resultados de pesquisa de muitos anos e mais de 5.000 experiências clínicas do Centro de Pesquisas em Medicina do Estilo de Vida da Universidade Duke, e segue a teoria “cinco carruagem” para tratamento de diabetes aceita em casa e no exterior.


Realizam tratamentos tradicionais através de duas carruagens de terapia medicamentosa e monitoramento da glicose no sangue, e intervenções no estilo de vida através das outras três carruagens de dietoterapia, terapia de exercícios e intervenção psicológica, para ajudar melhor e de forma mais abrangente pacientes diabéticos (mesmo aqueles que com maus efeitos da medicação e injeções) a se recuperarem gradualmente e retornarem à saúde.

Após operação experimental de mais de um ano, a Clínica Especialista em Diabetes Xier recebeu centenas de pacientes com diabetes mellitus do tipo 2 e fígado gorduroso, e através da tecnologia de tratamento e diagnóstico científica e saudável e gestão de intervenção personalizada no estilo de vida de Xier, alcançou excelentes resultados - 95% dos pacientes reduziram medicação, 60% dos pacientes deixaram de tomar o medicamento e 100% dos fígados gordos foram melhorado. O efeito é maravilhoso.

2. Esportes

O desporto reflete o novo estilo de vida da nova classe média.

Ir ao ginásio é o estilo de vida com o qual a maioria da nova classe média se acostumou. E como o registro de cinco quilômetros compartilhado em Momentos de Wechat ou voar pelo mundo para correr uma maratona, esses desportos com um senso de ritual, a cura deles duplica.

A "corrida" da nova classe média geralmente se refere à maratona. Isso é por causa que, aos olhos da nova classe média, o basquete e o futebol são populares de mais e os desportos radicais não cumprem sua identidade madura.


A maratona é um desporto que tem dificuldade e ao mesmo tempo, com um significado rico.


Essa mentalidade é refletida com precisão em "Do que eu falo quando eu falo de corrida", De Haruki Murakami. Claro, Haruki Murakami também é um escritor popular entre a classe média.

Segundo o relatório da iResearch, mais de 20% da nova classe média freqüentemente participa de atividades de lazer, como fitness, corrida e ciclismo.

3. Auto-aperfeiçoamento

O relatório da McKinsey mostra que a nova classe média gasta mais de 20% de seu tempo livre em auto-aperfeiçoamento. Corrida, maratona, ciclismo, fitness, filmes, obras dramáticas e culinária se tornaram pontos quentes para a nova classe média.

Rótulos como “comilão”, “delivery”, “jogos móveis” e “literatura de rede” na cultura de consumo popular não podem ser anexados a eles. Eles querem tomar a iniciativa de controlar suas vidas, defendem agradar a si mesmo e estão mais dispostos a alcançar isso através de controlar suas próprias vidas.

Para a nova classe média, a razão por trás de se agradar é o estado atual de ansiedade.

Do campo de trabalho à gestão financeira, da saúde da família à educação das crianças, a maré de informação em constante mudança, a procrastinação que é sempre difícil de curar e as questões na era que impulsionam os incontáveis da classe média, todos desses estão ampliando essa ansiedade. Como tal, a maneira de resolver está em algum consumo aparentemente desnecessário.

4. Dieta

Entre a nova classe média, a dieta é algo popular. Cada vez mais pessoas ao redor se apaixonam pelo “comer mato”, e os alimentos de baixa caloria e baixo teor de gordura representados pelas saladas e sucos de vegetais ocupam a mesa dos mais abastados O abacate, a couve-de-folhas, as cevadinhas ou os tomates-cerejas...um prato de “erva” caro, e cada mordida é a ansiedade trazida de volta do ginásio, só por causa que a pessoa na esteira ao lado já tem linha muscular invejável.


Metamucil é a primeira marca de alimentos nutritivos da P&G na China, e os usuários chineses gostam de comer panela quente enquanto ao mesmo tempo querem perder peso. Esta fibra dietética natural pode atender às suas necessidades e agora se tornou uma marca quente.


A P&G tem mais de 60 marcas em todo o mundo, mas atualmente há apenas menos de 30 marcas que já entraram na China.

5.Turismo

A vida não é apenas sobre a sobrevivência, mas a poesia e a distância. Todos os anos, toda a família tem que ir para o exterior para férias, o que sempre é a necessidade da maioria da classe média, viagens ao exterior e viagens de fim de semana estão se tornando cada vez mais populares.

“Escape de Pequim, Xangai e Guangzhou”, e faça uma viagem, torcendo pela liberdade. A Governanta do Vôo unindo a “Yizhibo” e a Xinshixiang lançou a atividade de “Faça sua própria decisão e escape de Pequim, Xangai e Guangzhou quatro horas depois”: No prazo de quatro horas, fornecia 30 bilhetes gratuitos com destinos desconhecidos para pessoas que querem escapar de Pequim, Xangai e Guangzhou em um primeiro a chegar, primeiro a ser servido.

Na verdade, oito minutos após o lançamento do artigo do WeChat, o número de candidatos na área de Pequim ultrapassou 3.000. Ao mesmo tempo, a "Yizhibo" abriu três salas de transmissão ao vivo, respectivamente, para transmitir a situação dos aeroportos de três cidades. Um grande número de fãs chegou ao aeroporto, e alguém conseguiu o bilhete com sucesso, alguém ficou desapontado e voltou.

O slogan, " Faça sua própria decisão ", tem seus próprios atributos que atraem jovens literários e artísticos.

Na hora de ponta matinal de sexta-feira, quando o cansaço e a raiva das pessoas sobre uma cidade atingiram o pico, eles receberam um convite para uma viagem, com destino desconhecido, bastante misteriosa.

Mesmo nos detalhes do bilhete, a Xinshixiang também busca serem literários e artísticos. Um pós-80s que acabou de fazer sua viagem de negócios e aterrissou no aeroporto da capital recebeu um artigo da Xinshixiang em seu celular e imediatamente decidiu embarcar na viagem, cujo destino era Manchúria, e o bilhete que ele pegou dizia: tente capturar uma foto de trem que acabou de deixar o país para ir à Rússia.

6. Serviços financeiros e de seguros

A classe média é relativamente altamente instruída, o conceito de consumo deles é relativamente vanguardista e o conceito de consumo pós-pago promove a prosperidade da indústria financeira e de seguros.

A alocação de ativos não é mais um jogo digital para os ricos, mas uma forma emergente de investimento e administração financeira na classe média.

Mais de 80% da nova classe média disse que espera realizar uma alocação de ativos profissional e direcionada para seu investimento no futuro.

A nova classe média tende a ser racional, de modo que os investimentos estáveis, como os fundos, estão se tornando a principal corrente do mercado. Todo o povo entrou gradualmente na era das necessidades financeiras e de seguros, o consumo financeiro e de seguros tornou-se o principal produto de consumo, e a alocação de ativos tornou-se uma nova forma de investimento e administração financeira na classe média.

A Standard & Poor's investigou 100.000 famílias com ativos de crescimento constante em todo o mundo, analisando e resumindo seus métodos de administração financeira familiar, e obteve a figura de quadrantes da Standard & Poor's: O sistema de alocação de ativos familiares atualmente reconhecido como o mais razoável e estável, é dividido em quatro aspectos principais:

① Conta de despesas diárias (também chamada de despesas diárias de consumo de curto prazo para despesas de manutenção de 3 meses, precisa ser flexível e geralmente colocada no banco)


② Conta de alavancagem (com pequeno investimento, para resolver o problema de fluxo de caixa de emergências familiares, como acidentes graves, doenças graves)


③ Contas de investimento (investimentos radicais, como ações, fundos, imóveis, empresas, etc.)


④ Conta exclusiva (preparado para a aposentadoria futura e a educação precoce infantil)

Uma pirâmide financeira de investimento familiar clássica é dividida em quatro níveis: segurança, preservação, valor agregado (investimento) e especulação:

① A alocação do nível de segurança é principalmente: moeda escritural (despesas diárias), seguro de garantia, habitação auto-ocupada (demanda rígida)

② A alocação do nível de preservação é principalmente: depósito a prazo, dívida nacional, administração financeira bancária, seguro de administração financeira, administração financeira online

③ A alocação do nível de valor agregado (investimento) é principalmente: habitação para investimento, ações, fundo de fundos, fundos de capital de risco, fundos de private equity, debênture, fidúcia

④ A alocação do nível de especulação é principalmente: arte, futuros, ouro, selos

Esses quatro níveis constituem a principal forma de alocação de ativos domésticos, da base para o topo da pirâmide, o risco aumenta por sua vez.

Do ponto de vista estrutural, as finanças sempre foram o núcleo da indústria de serviços dos EUA. Desde a década de 1970, os serviços profissionais se beneficiaram da revolução da tecnologia da informação e cresceram rapidamente.

Depois de 2000, o setor de serviços sociais se desenvolveu rapidamente.

Até 2017, os setores de finanças, seguros, imobiliário e serviços de negócios continuam a se expandir, com um valor de produção responsável por quase uma metade de todo o setor de serviços, de 47,1%, fornecendo 29% empregos. Nos setores de atacado, varejo, logística e armazenagem, o valor da produção e o emprego representaram apenas 21,7% e 26%.

A Rongzhijia unindo a Analysys lançou "Relatório de Desenvolvimento de Mercado de Crédito ao Consumo na China de 2017", mostrando que até o final de 2017, o tamanho do mercado de crédito ao consumo (excluindo crédito à habitação) na China atingiu 9,8 trilhões de yuans, representando 12,32% do PIB, com um espaço de mercado enorme.

A Ant Credit Pay de Taobao, Baitiao de JD e outros, especialmente o negócio de consumo a prestações está mostrando um surto de crescimento, oferecendo plataforma e espaço enormes para a atualizações de consumo.

O departamento de pesquisa do Allianz Group da Alemanha divulgou o "Relatório de Pesquisa de Mercado de Seguros Global”: Em 2017, a receita total global de seguro atingiu um recorde de 3,66 trilhões de euros (excluindo seguro de saúde) e houve ligeiro aumento em comparação com o mesmo período de 2016. Excluindo o impacto das taxas de câmbio, o aumento foi de cerca de 3,7%.

Actualmente, o tamanho do ativo da indústria de seguros da China é de cerca de